fbpx

Economia sofre queda nas exportações nos três primeiros meses do ano no RS

Compartilhe esta notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Pandemia da Covid-19 fez empresas estrangeiras cancelaram pedidos. O setor calçadista, em comparação aos três primeiros meses de 2019, teve queda de 5,8% no volume de vendas e de 12,2% em receita.

A economia do Rio Grande do Sul sofreu queda nas exportações no primeiro trimestre de 2020.

No setor calçadista, o estado exportou 7.400 milhões de pares de calçados, nos três primeiros meses de 2020. No último ano, foram quase oito milhões no mesmo período, o que representa uma queda de 5,8% no volume de vendas e de 12,2% em receita.

O faturamento no primeiro trimestre deste ano foi de US$ 113 milhões em exportações enquanto no mesmo período do ano passado foi US$ 117 milhões.

Por causa da pandemia da Covid-19, empresas estrangeiras cancelaram pedidos. Gaúchos também passaram a comprar menos. As vendas caíram e mais de três mil trabalhadores do setor foram demitidos nos últimos 30 dias.

O presidente-executivo da Abicalçados, Haroldo Ferreira, diz que a pandemia influenciou o resultado negativo. “Já existem estudos dizendo que o consumo de calçados no mundo vai cair 22,5%. Como nós fazemos parte da produção desses calçados, terá reflexo também no próprio cenário brasileiro”, diz.

No Noroeste do estado, as indústrias de implementos agrícolas também estão reduzindo a produção e fabricando apenas o que já havia sido pedido. As vendas para o mercado interno caíram pela metade e a queda nas exportações foi de 80%.

O empresário Geraldo Recktenwald diz que 100% da equipe de vendas da empresa está trabalhando em homeoffice. “Isso fez com que a carteira de pedidos da nossa empresa diminuísse, deixando a fábrica menos eficiente e elevando o custo”.

O Porto de Rio Grande, no sul do estado, também sente os reflexos da crise na indústria. Nos três primeiros meses do ano, a movimentação de contêineres – que transportam produtos industrializados -, foi quase 5% menor que no mesmo período do ano passado.

Já no transporte de cargas cresceu 2%, puxado, principalmente, pelo agronegócio. As exportações de soja tiveram um bom desempenho antes da pandemia.

“O mês de março foi um dos melhores meses da última década. O que prova que o porto não parou e não pode parar a importação e exportação”, disse o superintendente do porto, Fernando Estima.

Na serra gaúcha um dos principais setores da economia é o polo metalmecânico. O sindicado das empresas do setor afirma que ainda não fechou o balanço do primeiro trimestre de 2020, mas há indicativo que janeiro e fevereiro deste ano foram piores que no ano passado.

O setor de móveis registrou queda de 7,2% nas exportações.O principal polo moveleiro do estado fica em Bento Gonçalves, na Serra, e abrange outros três municípios. As vendas para os Estados Unidos foram as que mais diminuíram, 37,5% na comparação com os três primeiros meses do ano passado. O setor tem cerca de 300 empresas na serra e emprega mas de 6 mil pessoas.

“Elas tiveram um impacto porque ficaram praticamente três a quatro semanas paradas sem produção, sem receita. Temos que ser otimistas, temos que pensar que juntos passaremos por mais esse desafio”, aponta o diretor internacional do SindiMóveis, Leonardo Dartora.

FONTE: G1

consulte sua habilitação Radar / Siscomex

copie o link abaixo, abra uma nova aba do navegador e cole na barra de endereço

Contate-nos

Telefone

+55 13 3321-9321 | +55 65 4141-4540

WhatsApp

clique acima

Preencha seus dados abaixo