Brazil

Energia solar por assinatura promete economia de 10% a 15% na conta de luz e já soma mais de 5 mil consumidores no país

Compartilhe esta notícia

A energia solar por assinatura está se popularizando no país e pode gerar uma economia na conta de luz de até 15%. A modalidade não exige investimentos e está isenta das bandeiras tarifárias da Aneel.

Com a conta de luz com preços elevados e a bandeira de escassez hídrica acionada desde 2021 e em vigência até o começo deste ano, por conta da grande seca que abateu sobre o Brasil no último ano, o empresário e dono de duas padarias em Santos, no litoral de São Paulo, Fredy Rodrigues estava à procura de uma forma de diminuir seu gasto com energia. Rodrigues ressalta que foram feitos orçamentos para a instalação de placas de energia solar no telhado, entretanto o imóvel não é próprio e o investimento seria muito alto e assim, conheceu a energia solar por assinatura, que promete economia na conta de luz de até 15%.

Empresário explica economia na conta de luz com o uso de energia solar por assinatura

Diante do valor do pão e do aluguel pressionados pela inflação, e de receitas em queda, por conta de prédios comerciais e universidades fechadas devido à pandemia, o executivo conheceu a energia solar por assinatura. Com o serviço, Rodrigues afirma que a economia na conta de luz pode chegar a uma média de 12% ao mês.

Uma conta de luz de padaria pode ir de R$ 12 mil a R$ 20 mil mensais e no verão, há a necessidade de ligar todos os aparelhos de ar condicionado, no inverno, o forno trabalha mais, sendo assim, muita energia é gasta. O empresário afirma que com uma economia de 10 a 15% gerados pelo serviço de energia solar por assinatura, são menos R$ 2 mil gastos por mês.

Anualmente, são cerca de R$ 48 mil de economia na conta de luz utilizando uma energia sustentável e limpa. O empresário afirma já ter entrado em contato com o setor de marketing da empresa para que seja feita essa propaganda, tendo em vista que a padaria está em meio a três universidades e os estudantes têm um olhar diferente para isso.

Brasil adere energia solar por assinatura com base em outros países 

Com inicio na Alemanha e depois se espalhando pelo restante da Europa e Estados Unidos, o modelo de comunidades solares tinha como base, cooperativas ou consórcios de consumidores, que juntos tornavam viável a instalação de pequenas usinas, compartilhando a energia gerada, apesar de distantes do local de consumo. Sendo assim, algumas empresas viram uma oportunidade na mudança regulatória para disponibilizar um novo serviço no Brasil: a energia solar por assinatura.

Foi o caso da Sun Mobi, por exemplo, fundada em 2016 para atuar no setor, atendendo cerca de 300 clientes espalhados em 27 cidades do estado de SP atualmente. De acordo com um dos sócios da empresa, Alexandre Bueno, surgiu a possibilidade de colocar a fazenda solar em uma área, gerando energia sustentável para a distribuidora, vendendo esta mesma em forma de créditos, que podem ser abatidos em qualquer conta de luz, desde que seja na mesma área de concessão da distribuidora.

Como funciona a energia solar por assinatura?

Por exemplo, uma casa que consome em média 200 quilowatt-hora mensais nas áreas de concessão da Cemig, distribuidora que atua em Minas Gerais, compra créditos de uma empresa de energia solar por assinatura que atue também na área da distribuidora.

A empresa contratada “injeta” na rede a energia solar gerada e os créditos são abatidos na tarifa do consumidor, gerando economia na conta de luz. Na modalidade, o consumidor fica livre da bandeira tarifária, um benefício estabelecido pela Aneel para fomentar a geração de energia limpa próximo aos locais de consumo.

FONTE: Click Petróleo e Gás (CPG)

últimas notícias no Comércio Exterior

solicitar atendimento

vamos conversar sobre Comércio Exterior ?

services for companies outside Brazil