Exportação de suco de laranja cresce 24% em volume e 11% em receita

Compartilhe esta notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

As exportações brasileiras de suco de laranja avançaram 24% em volume e 11% em receita no primeiro quadrimestre da safra 2019/2020, entre julho e outubro deste ano, sobre igual período da safra anterior. O volume saiu de 307.112 toneladas para 379.457 toneladas e o faturamento foi de US$ 588,3 milhões para US$ 655,4 milhões. Os dados foram divulgados há pouco pela Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos (CitrusBR) a partir de números da Secretaria Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia.

O levantamento considera a soma dos volumes de suco de laranja concentrado e congelado (FCOJ) e do suco fresco, ou não concentrado e congelado (NFC). O volume de NFC, seis vezes maior, é transformado no equivalente em FCOJ e somado ao do concentrado no total divulgado.

Segundo a CitrusBR, a alta era esperada nesta época do ano, período em que há a necessidade de liberar mais espaços nos tanques brasileiros para receber suco da safra nova. “Estamos processando uma safra grande, então é natural que haja certa movimentação de estoques. Nesse momento, é difícil avaliar se o avanço nas exportações representa aumento de demanda”, relatou o diretor da CitrusBR, Ibiapaba Netto.

A União Europeia (UE), mercado que consumiu mais de 70% do suco de laranja brasileiro, importou 277.709 toneladas em suco de laranja equivalente em FCOJ entre julho e outubro, alta 31% em relação às 212.785 toneladas registradas no mesmo período de 2018/2019. O faturamento somou US$ 488,3 milhões, ante US$ 405,7 milhões de receita com as vendas da bebida ao bloco econômico do período anterior, alta de 20%.

Para os Estados Unidos, foram embarcadas 53.488 toneladas no acumulado do primeiro quadrimestre da safra 2019/2020, ante 56.087 toneladas no período anterior, recuo de 5%. Em receita, a queda foi de 21% na mesma base de comparação, de US$ 107,7 milhões para US$ 85,5 milhões.

Terceiro maior mercado da bebida, o Japão importou, entre julho e outubro, 19.903 toneladas, 17% a mais que o volume embarcado no mesmo período da safra 2018/2019, de 16.982 toneladas. A receita com embarques para o Japão foi de US$ 34,6 milhões no período da atual safra, 8% acima dos US$ 32 milhões do período anterior.

A China, quarto maior mercado consumidor do suco de laranja brasileiro, importou 14.768 toneladas até outubro na safra 2019/2020, ante as 7.082 toneladas em quatro meses da safra anterior. A alta foi 109% no volume, mas de 44% no faturamento, de US$ 14,5 milhões para US$ 20,9 milhões.

FCOJ e NFC

As exportações brasileiras de FCOJ nos quatro meses iniciais de 2019/2020 somaram 293.107 toneladas, aumento de 29% em relação ao mesmo período de 2018/2019, quando foram exportadas 227.069 toneladas. O faturamento com esse tipo de suco, de US$ 487,3 milhões, foi 12,5% maior que o de US$ 433 milhões de igual período da safra anterior.

As vendas externas de NFC registraram alta de 5% na mesma base de comparação, de 451.524 toneladas para 474.924 toneladas totais (sem conversão para FCOJ). O faturamento subiu 8%, de US$ 155,3 milhões para US$ 168 milhões.

FONTE: Isto é

consulte sua habilitação Radar / Siscomex

copie o link abaixo, abra uma nova aba do navegador e cole na barra de endereço

Todos os serviços para
Comércio Exterior

Fale com um de nossos especialistas

Telefone

+55 13 3321-9321 | +55 65 4141-4540

WhatsApp

+55 13 3321-9321

E-mail

Preencha o formulário ao lado