Produtor de Mato Grosso já vendeu mais de 90% da safra 2018/2019

Compartilhe esta notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

De acordo com o Imea, vendas de milho em setembro foram sustentadas pela demanda por parte das usinas de etanol.

A comercialização da safra 2018/2019 de soja e milho de Mato Grosso supera os 90% do volume colhido, de acordo com dados do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea). Os relatórios divulgados neste mês refletem a movimentação até o final de setembro. Na soja, a comercialização chegou a 96,85% da produção, avanço de 1,92 ponto porcentual em relação ao mês de agosto. No milho, avanço foi de 5,91 pontos na mesma comparação, para 93,31%.

O Imea estimou produção estadual de milho em 32,26 milhões de toneladas. De acordo com os técnicos, o movimento de venda foi favorecido pela valorização no mercado interno, em função da maior demanda para a produção de etanol. O preço médio em setembro foi de R$ 27,75 a saca de 60 quilos, valor 22,01% superior ao registrado em agosto.

Para a safra 2019/2020 de milho, que será semeada em janeiro do próximo ano, após a colheita da soja, os produtores já comprometeram 41,89% do volume preliminarmente estimado pelo Imea em 31,62 milhões de toneladas. Até o início de outubro do ano passado os produtores tinham comercializado 29,57% da safra 2018/2019. “Apesar de o cenário ser favorável aos negócios, o momento ainda requer atenção na compra dos insumos da nova safra”, diz o Imea, em boletim divulgado nesta segunda-feira (14/10).

Ainda conforme o Imea, os preços no mercado mato-grossense seguem firmes. Na semana passada, a valorização foi de 2,65%, com a cotação média em R$ 25,57 a saca de 60 quilos, acompanhando a alta do cereal na bolsa de Chicago, por conta de preocupações com o clima nos Estados Unidos.

Soja

No caso da soja, o Imea avalia que a comercialização foi ajudada pelo comportamento do câmbio. Junto com um avanço mensal de 5,72% no preço de referência na Bolsa de Chicago (EUA), o dólar, ainda em patamares considerados elevados no período, ajudou a compensar, pelo menos em parte, a queda dos prêmios de exportação no Porto de Santos (SP), estimulando as negociações de alguns volumes.

A última semana foi de leve queda para a soja no Estado. A cotação média foi de R$ 72,52 a saca de 60 quilos, 0,45% a menos que na semana anterior.

Em relação à safra 2019/2020, em fase inicial de plantio, a comercialização antecipada chegou a 36,03% do total estimado para a produção do estado, que é de 33,10 milhões de toneladas da oleaginosa. Na mesma época do ano passado 33,87% estavam comprometidos. No boletim da semana passada, os técnicos pontuavam que os produtores seguem mais atentos à safra nova, aumentando os volumes comprometidos.

Até a última sexta-feira (11/10), a área semeada com soja no Estado na safra 2019/2020 era de 18,78%, de acordo com estimativas do próprio Imea. O avanço em relação à semana anterior tinha sido de 12,16 pontos percentuais. A expectativa é de uma área plantada de 9,775 milhões de hectares com soja no Estado.

“Após um ritmo lento nas primeiras semanas, os trabalhos a campo começaram a acelerar, refletindo os bons volumes de chuva que ocorreram em algumas regiões na última semana, entretanto o total semeado ainda se encontra 0,38 pontos percentuais atrás da média dos últimos cinco anos e 8,50 pontos menor que o observado na safra passada”, diz o Imea, em boletim divulgado na segunda-feira (14/10).

FONTE: Globo Rural

consulte sua habilitação Radar / Siscomex

copie o link abaixo, abra uma nova aba do navegador e cole na barra de endereço

Todos os serviços para
Comércio Exterior

Fale com um de nossos especialistas

Telefone

+55 13 3321-9321 | +55 65 4141-4540

WhatsApp

+55 13 3321-9321

E-mail

Preencha o formulário ao lado