fbpx

Brasil deve bater recorde de exportações de carne bovina em 2019, diz Rabobank

Compartilhe esta notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

As exportações brasileiras de carne bovina em 2019 devem crescer 3,9% ante o ano anterior e bater recorde, de acordo com estimativas do Rabobank em relatório trimestral divulgado nesta sexta-feira, 30. O motivo seria a maior demanda da China, do Egito e a reabertura da Rússia no fim do ano passado. Além disso, o câmbio deve favorecer os preços e a produção no País.

Apesar de reiterar perspectiva favorável para o setor no Brasil, o Rabobank afirma que fatores como a safra de milho nos Estados Unidos, a guerra comercial entre EUA e China e novas habilitações internacionais de plantas podem alterar o cenário.

O cenário interno para a carne bovina brasileira também foi considerado positivo, com melhora no consumo doméstico este ano em decorrência da perspectiva de recuperação econômica do País que, para o banco, continuará caso as reformas sejam aprovadas pelo Congresso.

O início do ano, no Brasil, foi de alto índice de abate de novilhas e os preços do gado vivo subiram 8% em julho deste ano ante o mesmo mês de 2018.

Também segundo o Rabobank, a produção global de carne bovina deverá se tornar mais sustentável para atender às novas e crescentes exigências de consumidores. O banco lista iniciativas que já ocorreram nos últimos 12 meses, como o compromisso do McDonald’s de comprar carne sustentável, o programa de sustentabilidade lançado pela Tyson Foods, e a criação da Associação Brasileira de Produtores de Carne Carbono Neutro em fevereiro deste ano, com a Marfrig já se oferecendo para entregar os primeiros produtos de carne bovina neutros em emissão este ano. De acordo com o banco, o ritmo das mudanças deve acelerar em todo o mundo.

Na China, o diagnóstico é de “forte demanda por carne bovina”, com preços altos no varejo mesmo durante o verão, que costuma ser época de pouco consumo no país. “Consumidores estão migrando de carne suína para outras proteínas”, mostra o relatório, mencionando o surto de peste suína africana que causou aumento no preço da carne suína e queda na demanda em decorrência de preocupações com segurança alimentar. A produção de carne bovina do país deve ficar estável. O país registrou aumento anual de 53% nas importações de carne bovina no primeiro semestre de 2019 e o banco diz que espera “que o impulso de importações expressivas de carne bovina continue durante o restante do ano”.

Nos Estados Unidos, o Rabobank destaca os desafios da produção após o incêndio em uma planta da Tyson em Kansas. “Dado o impacto do fogo, ainda há um alto grau de incerteza sobre quais condições e preços do mercado prevalecerão no restante do ano.”

Já na Austrália, o destaque é a alta nos preços do gado em decorrência do estoque em níveis mais baixos nos últimos 20 anos – a estimativa é de 26 milhões de cabeças -, com perspectiva de recuo ainda maior.

FONTE: Isto É Dinheiro

conheça os serviços para sua empresa atuar na importação e exportação

atendimento nacional

conheça nossos serviços
últimas notícias no Comércio Exterior

Contate-nos

3003 5339

13 3321 9321
65 4141 4540

WhatsApp

clique acima

Preencha seus dados abaixo