Hong Kong estuda importação de suínos no sudeste asiático, com aumento dos preços da carne suína na China

Compartilhe esta notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Hong Kong está estudando a importação de porcos vivos de países do sudeste da Ásia, incluindo a Malásia, para suplementar a oferta cada vez menor da China continental que causou o aumento dos preços da carne suína, disse nesta quarta-feira a secretária de Alimentação e Saúde Sophia Chan. .

A cidade importava 4.000 porcos por dia da China continental para serem abatidos por processadores locais, mas esse número começou a declinar no final do ano passado e caiu para apenas 1.700 por dia após a peste suína africana devastar o rebanho de suínos da China. A doença, para a qual não existe vacina, não é prejudicial aos seres humanos.

Os preços de varejo de carne de porco em Hong Kong mais que dobraram, para HK $ 159 ($ 20,31) por kg no ano até setembro, acompanhando os preços crescentes na China. Os 7,4 milhões de habitantes da cidade consumiram cerca de 550.000 toneladas de carne suína no ano passado, segundo dados do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, mais per capita do que a maioria dos outros países.

Em uma resposta por escrito a uma pergunta feita por um membro do Conselho Legislativo de Hong Kong na quarta-feira, Chan disse que a cidade entrou em contato com autoridades da Tailândia, Coréia do Sul e Malásia para expressar interesse em importar desses países.

“Como a importação de animais vivos envolve considerações de saúde pública e segurança alimentar e os surtos de peste suína africana nos países vizinhos estão surgindo, temos que ter cautela”, disse Chan.

O Departamento de Agricultura, Pescas e Conservação também planeja visitar Cingapura em dezembro para conhecer suas regras sobre a importação de porcos vivos da Malásia por mar, disse Chan.

A autoridade, que foi solicitada a procurar novas fontes de importação pelo comércio local de carne suína, também realizou reuniões para discutir a viabilidade e o trabalho necessário para se proteger contra a peste suína africana ao importar de novos países.

A doença se espalhou pela Ásia e foi detectada na Coréia do Sul no início deste ano, levando ao abate de cerca de 380.000 porcos para conter a doença, ou cerca de 3% do rebanho de porcos do país. Nenhum novo caso foi detectado desde 10 de outubro.

Nem a Tailândia nem a Malásia ainda confirmaram a doença em seu território, embora a Tailândia esteja em alerta máximo, com a doença disseminada nos países vizinhos Camboja, Laos e Mianmar.

Também chegou ao Vietnã, nas Filipinas, e provavelmente está presente na Indonésia.

FONTE: Reuters

consulte sua habilitação Radar / Siscomex

copie o link abaixo, abra uma nova aba do navegador e cole na barra de endereço

Todos os serviços para
Comércio Exterior

Fale com um de nossos especialistas

Telefone

+55 13 3321-9321 | +55 65 4141-4540

WhatsApp

+55 13 3321-9321

E-mail

Preencha o formulário ao lado