fbpx

Preço da carne bovina recua 3% em abril enquanto frango perde 15% e suíno registra baixa de 25% no mesmo período

Compartilhe esta notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Ajuste da oferta de animais foi fundamental para evitar recuo na @ do boi, mesmo diante de uma menor demanda no consumo interno da carne

Com o isolamento da população e os serviços de food service fechados, os preços da carne bovina recuaram apenas 3% no mês de abril, enquanto, os valores do frango tiveram um recuo de 15% e de suínos 25% durante o mês. Os valores da carne bovina não foram tão impactados em função de uma menor disponibilidade de animais no mercado. 

De acordo com o Consultor de Agronegócio do Itaú BBA, Cesar de Castro Alves, a firmeza nos preços da arroba se deve a oferta restrita de animais. “Eu acredito que vamos ter pastos com boas condições nos próximos trintas dias, mas o pecuarista está segurando o animal já que as indústrias estão com o apetite menor em função ao isolamento da população”, comenta. 

A demanda externa aquecida para as proteínas de carne bovina e suína nas últimas semanas. “A média diária de carne bovina in natura embarcada registrou um aumento de 12,08% frente aos dados de abril de 2019. O nosso boi é muito barato e com a desvalorização cambial fica mais atrativa ao mercado”, relata.

O consultor destacou que as exportações vão contribuir para escoar a carne bovina no mercado interno, mas que as projeções econômicas podem afetar o volume exportado. “Com o bom ritmo da exportação, os preços da carne bovina tende a se manter em bons patamares e se esse produto não for escoado fica no mercado interno e registra um recuo leve na arroba”, afirma.

 FONTE: Notícias Agrícolas

últimas notícias no Comércio Exterior

solicitar atendimento

vamos conversar sobre Comércio Exterior ?

services for companies outside Brazil